© 2017 Adriana Vilela Odontologia | Terapia Quântica - Todos os direitos reservados

LIGUE 11 3842-4426 OU 11 96955-1122

Rua Santa Justina, 352 CEP 04545-041 São Paulo, SP

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Canal
HALITOSE

Existem mais de 60 causas para a Halitose (mau hálito) onde 90% dos casos são de origem bucal, principalmente quando existe presença de saburra lingual e alterações na gengiva. É necessário um bom diagnóstico para que se possa determinar o tratamento de halitose.

No tratamento de halitose, uma das causas mais comuns do mau hálito, é a diminuição da produção de saliva, essa diminuição da quantidade de saliva favorece a formação da saburra lingual (placa esbranquiçada que se forma no fundo da língua), sua composição de restos proteicos alimentares e salivares, células que se descamam da mucosa bucal e bactérias.

As causas extrabucais mais freqüentes do mau hálito são as doenças hepáticas, doenças da orofaringe, tabagismo, bronco-pulmonares, digestivas, perturbações do sistema gastrointestinal, diabetes, deficiência de vitamina A e D, intestino preso, estresse e outras causas diagnosticadas para o tratamento de halitose. Também são fontes de mau hálito, as próteses mal adaptadas e as restaurações com problemas de infiltrações, caries etc.

Para se obter sucesso no tratamento de halitose, é necessária uma investigação inicial que inclui o exame detalhado da boca, da língua (para verificar a presença de saburra lingual) da parte dentária, em busca de sinais de higienização precária, gengivites e periodontite, também se faz necessário o conhecimento de todo o histórico médico do paciente pelo profissional. Com todas estas informações em mãos será traçado um planejamento para o tratamento de halitose, e o paciente poderá ficar livre do mau hálito.

Para se prevenir o mau hálito deve-se ter cuidado com a alimentação e, principalmente, com a higiene bucal, evitar excesso de carne gordurosa, fritura, repolho, brócolis, couve-flor, alho, cebola. Dar preferência ao leite desnatado e ao queijo branco ou ricota, evitar bebidas alcoólicas e fumo. Evitar jejum prolongado, ou seja, não ficar sem se alimentar por mais de 3 ou 4 horas, desta forma, o indicado seria fazer uma refeição leve entre as principais refeições (café da manhã, almoço e jantar).

Deve-se seguir a orientação do especialista no tratamento de halitose para se obter uma boa higiene bucal e lingual. No tratamento de halitose são indicadas técnicas corretas para a limpeza dos dentes (com escovas e fio dental) e da língua com limpadores e produtos específicos que existem no mercado.

Indica-se uma boa freqüência de ingestão de água por dia, em média de 2 a 3 litros, porém essa quantidade de ingestão de líquido pode variar de acordo com o tratamento de halitose indicado para cada pessoa quando já existe a queixa de mau hálito e o paciente procura um especialista para o tratamento de halitose.